REBIO do Parazinho | Turismo Estado Amapá

Reserva Biólogica do Parazinho

          A Reserva Biológica (Rebio) do Parazinho é uma Unidade de Conservação (UC) de proteção integral, criada com o objetivo principal de proteção integral permanente do ecossistema e dos recursos naturais. Foi criada pelo Decreto estadual nº 5, de 21 de janeiro de 1985, com uma área aproximada de 111,32 hectares. No entanto, em virtude da intensidade dos processos costeiros e intensa sedimentação, sua área foi ampliada para aproximadamente 344,20 hectares. A Rebio foi constituída a partir de terras devolutas, sem obstáculo à regulamentação fundiária, conforme artigo nº. 16 da Emenda Constitucional, de 27 de novembro de 1980. 

        É uma Ilha do arquipélago do Bailique, distrito do município de Macapá, circundada pela foz do rio Amazonas. Está localizada na parte costeira da porção sudeste do Estado do Amapá. Está sob gestão da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) do Amapá. O acesso à UC é via fluvial. Partindo de Macapá, são doze horas de barco pelo rio Amazonas até a Vila Progresso, no arquipélago do Bailique.

          A Rebio possui característica peculiar por estar entre águas oceânicas e costeiras. De um lado tem a contribuição das águas quentes e ricas em nutrientes do rio Araguari e, do outro, a das águas frias e ricas em biodiversidade provindas da Corrente Oceânica Brasileira. Esta junção dá origem a um sistema estuarino único, berçário natural de espécies costeiras e oceânicas. 

         Por essa razão, a Rebio do Parazinho possui uma fauna rica e variada, com abundância de peixes, mamíferos, répteis e aves, que migram pela região ou são naturais da área. Algumas dessas espécies são pressionadas ou ameaçadas pelas crescentes atividades antrópicas em todo o arquipélago, e a UC representa um refúgio natural para sobrevivência e reprodução dessas espécies.

           Atualmente, um dos principais crimes ambientais que ocorre na Rebio é a coleta de ovos de tartaruga da Amazônia (Podcnemis expansa) e de camaleoa (Iguana iguana), comercializados e consumidos como iguaria alimentar. É necessária uma fiscalização mais efetiva e um monitoramento mais ágil e eficiente para diminuir estas pressões sobre a unidade.

       Na UC é proibida a perseguição, caça, captura ou introdução de quaisquer espécies florísticas e faunísticas, silvestres ou domésticas, com exceção de atividades de cunho científico, cultural e educacional. Por isso, só é permitida a entrada de pessoas na UC com autorização da Sema. 

        Atualmente, a Rebio possui uma base de apoio onde pesquisadores podem desenvolver pesquisas em diversas áreas. Conta ainda com o Projeto Quelônios da Amazônia (Q.AMA) como bandeira do preservacionismo e da educação ambiental na região. Todavia, este projeto torna-se ameaçado com o constante crescimento da atividade pesqueira em sua área litorânea, fato favorecido pela carência de políticas públicas de ordenamento pesqueiro. 

        Apesar da constante mobilização comunitária em seu entorno, a reserva ainda não possui um plano de manejo e um conselho gestor.

 

FONTE: Arquivo da Secretaria de Turismo do Amapá - SEMA

Rua Odilardo Silva, Nº1584-Centro

Macapá, AP

E-mail: reservation@amapaecocamping.com

  • Google+ Clean
  • Twitter Clean
  • facebook